Balanço Patrimonial e Demonstração de Resultados: Entenda a contabilidade da sua empresa

Para além do mero cumprimento das obrigações, as informações obtidas pela contabilidade são capazes de refletir de forma bastante precisa o que é a empresa em termos financeiros e os rumos que estão sendo tomados, apontando um panorama completo da situação financeira e econômica, período a período.

Por consequência, o empreendedor que busca compreender as entregas da contabilidade ao invés de simplesmente assinar e arquivar papéis dá um passo à frente nos objetivos de manter a saúde financeira e crescer de forma sustentável.

Há alguns documentos para os quais vale estar atento, com destaque ao Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultados.

Em conjunto, esses documentos contábeis são uma importante base para indicar como exercer uma gestão financeira inteligente. Quer entender como funciona a análise? Acompanhe!

Balanço patrimonial

O balanço patrimonial pode ser considerado o documento mais importante da contabilidade da empresa, porque representa, em termos simples, seu retrato financeiro naquele momento.

A estruturação do balanço patrimonial segue um padrão que se divide em dois lados, em um modelo semelhante a este:

Entenda, de forma simplificada, a que correspondem os termos envolvidos no balanço patrimonial.

Ativos – No lado esquerdo do balanço patrimonial, são listados o conjunto dos ativos, que representam as aplicações dos recursos administrados pela organização.

Nos ativos consta a descrição dos investimentos feitos para o negócio, expondo como estão sendo utilizados os recursos à disposição. A lista inclui, por exemplo, volume de caixa, estoque e contas a receber, uso de estrutura própria ou não, entre diversos outros.

Passivos – Volume de recursos que estão alocados mas representam, na realidade, dívidas de compromisso ainda não pagas, como impostos, contas de energia, financiamentos para bancos, dentre inúmeras outras. Ainda que estejam no balanço patrimonial e circulando na empresa, o volume correspondente aos passivos não é próprio, já que em algum momento será retirado.

Patrimônio líquido – Patrimônio alocado livre das dívidas, ou seja, recursos próprios da empresa, efetivamente.

Percebemos, portanto, que o outro lado do balanço patrimonial (formado pelos Passivos + Patrimônio Líquido) esclarece a origem dos recursos que estão alocados no ativo da empresa. No entanto, é fundamental para a gestão financeira delimitar a diferença entre aqueles recursos que não são efetivamente da empresa, pois deverão ser utilizados em obrigações a pagar a terceiros, e os recursos restantes dessas obrigações, que correspondem ao patrimônio líquido, o que é dos sócios efetivamente. Essa é a divisão entre os Passivos e o Patrimônio Líquido.

O crescimento contínuo do patrimônio líquido é um dos principais indicadores da saúde do negócio: afinal, à medida que o negócio gera mais resultados, mais lucro ele adquire, permitindo pagar o que se deve e acumular patrimônio líquido (lucro que se retém). Isso permite quantificar o valor da empresa diariamente, com um bom controle da contabilidade.

Além do balanço patrimonial, os controles realizados pela contabilidade contam ainda com a Demonstração de Resultados.

Demonstração de Resultados

A Demonstração de Resultados é o documento que descreve os resultados financeiros obtidos com a estratégia do negócio, por meio da observação de suas atividades no período de análise ‒ receitas, custos e despesas. O que ele expõe, enfim, é o resultado líquido do exercício, esclarecendo se as operações representaram lucro ou prejuízo.

O que fazer com o lucro?

Quando o resultado da relação entre entradas e saídas é positivo, obtém-se lucro, naquele período. A partir daí, cabe ao empreendedor a decisão estratégica de alocação de lucros, que interfere diretamente no sucesso do negócio.

Em resumo, há dois caminhos possíveis:

– O dono do negócio pode entender que o lucro é a parte que lhe cabe e, simplesmente, tomar os recursos para si;

– Em uma visão mais estratégica, porém, pode-se optar por manter o lucro na própria empresa, investindo-o de alguma maneira. A utilização de parte do lucro para reinvestir no negócio é uma alternativa que considera um crescimento em espiral, que se multiplica ao longo do tempo. Esse aumento no investimento do ativo do negócio pode ser feito de diversas maneiras, como treinamentos para a equipe, informatização e automação de processos, formação de estoque… Qualquer operação que auxilie estrategicamente no crescimento é válida.

Os principais documentos utilizados na contabilidade podem ser chaves, portanto, para a gestão inteligente do negócio, quando unidos a uma análise detalhada e estratégica que vise o crescimento do patrimônio de forma sustentável ao longo do tempo. A partir dela, é possível identificar os reinvestimentos possíveis para alimentar um crescimento em espiral.

Fonte: Jornal Contábil - 05/12/2019

Cotações e Índices

Moedas - 01/04/2020 16:47:11
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 5,238
  • 5,240
  • Paralelo
  • 4,430
  • 5,190
  • Turismo
  • 5,210
  • 5,520
  • Euro
  • 5,721
  • 5,722
  • Iene
  • 0,049
  • 0,049
  • Franco
  • 5,411
  • 5,417
  • Libra
  • 6,501
  • 6,506
  • Ouro
  • 268,490
  •  
Mensal - 04/03/2020
  • Índices
  • Jan/20
  • Dez/19
  • Inpc/Ibge
  • 0,19
  • 1,22
  • Ipc/Fipe
  • 0,29
  • 0,94
  • Ipc/Fgv
  • 0,59
  • 0,77
  • Igp-m/Fgv
  • 0,48
  • 2,09
  • Igp-di/Fgv
  • 0,09
  • 1,74
  • Selic
  • 0,38
  • 0,37
  • Poupança
  • 0,05
  • 0,05
  • TJLP
  • 5,09
  • 5,57
  • TR
  • -
  • -

Saiba mais ...

Agendas Tributárias

  • 03/Abril/2020 – 6ª Feira.
  • ICMS | Refinador de petróleo e suas bases.
  • ICMS | Refinador de petróleo e suas bases.
  • ICMS

Saiba mais ...

Avenida Silvio Avidos, 1104 - Sala 103 - São Silvano - Colatina ES   |   CEP: 29703-132
27. 3721 3268   |   pedro@gramacon.com.br
Desenvolvido pela TBrWeb
( XHTML / CSS )