O que esperar da Black Friday neste ano, segundo o Google

A Black Friday se tornou uma data ansiosamente aguardada pelos brasileiros em busca de oportunidades de bons negócios no e-commerce. No ano passado, segundo levantamento do Google, lojas online faturaram um total de R$ 2,1 bilhões, com um crescimento de mais de 10% em relação a 2016. Tais resultados consolidam o festival de ofertas como a segunda melhor data para o varejo brasileiro, atrás apenas do Natal.

O que esperar neste ano

Como esperado nos outros anos, a chegada do 13º salário, Natal, Saldão e Ano-Novo deve beneficiar a temporada de ofertas no quarto trimestre. Para Patricia Muratori, head de vendas para varejo do Google Brasil, "a Black Friday abre um período repleto de intenções de compra” e aconselha: “As marcas não devem enxergar a data como um evento, que começa e termina, mas como o início de uma relação mais duradoura com o consumidor.” 

O comportamento do consumidor 

Para ajudar o mercado a se preparar para a temporada Black Friday, o Google divulgou nessa terça-feira (14), uma pesquisa inédita sobre o comportamento do consumidor brasileiro na data. A pesquisa, encomendada pela empresa e realizada pela Provokers, ouviu 1.500 consumidores on-line, de 18 a 54 anos, das classes A, B e C, de todas as regiões do País, ao longo de julho de 2018.

A principal novidade do estudo é mostrar ao mercado a oportunidade de estender o bom momento criado pela Black Friday para as datas de compra que vêm na sequência, entre elas a chegada do 13º salário e o Natal. De acordo com o estudo, consumidores brasileiros se comportam de maneira diferente em cada data da temporada de compras do quarto trimestre.

Em 2018, 99,5% dos consumidores on-line entrevistados afirmaram que conhecem a Black Friday. É um salto quando comparado a 2014, quando, segundo a pesquisa Hello Research, só 27% conheciam a data. Dos internautas brasileiros, 70% já compraram em uma Black Friday.

Só na Black Friday 2017, os consumidores brasileiros fizeram 3,8 milhões de pedidos, gerando R$ 2,1 bilhões em vendas no meio on-line, de acordo com dados da e-Bit. 

O gasto médio dos consumidores na edição passada (soma de compras on-line e off-line) foi de R$ 1.178, o que mostra a disposição do brasileiro em aproveitar a data para comprar produtos de maior valor.

As categorias mais compradas em 2017 foram: eletrônicos, viagens e beleza - alta de 15% em relação a 2015.

Do total de 1.500 entrevistados (que inclui quem comprou e quem não comprou no ano passado), apenas 9% disseram que não comprariam neste ano. Analisando somente a intenção de quem comprou em 2017, só 2% afirmam que não vão comprar neste ano, o que mostra que poucas pessoas que compram em uma Black Friday deixam de comprar novamente no ano seguinte, analisa o Google.

Eletrônicos em alta

A categoria de smartphones foi a mais popular na Black Friday 2017, seguida por TVs e eletroportáteis. Porém, outras categorias ganharam relevância, como roupas, perfumes e tênis.

Em 2017, o volume de buscas por produtos no Google registrou crescimento de 57% em relação ao volume médio das sextas-feiras de novembro de 2017, antes da Black Friday - categorias como eletrônicos e eletroportáteis chegaram a apresentar variação de mais de 300%.

Confiança nas promoções ainda é o principal motivo para não participar da Black Friday segundo 37% dos entrevistados. Por outro lado, 75% dos que compraram dizem que gastaram o valor que esperavam ou menos.

Fonte: idgnow.com.b | 16/08/2018

Cotações e Índices

Moedas - 30/03/2020 16:34:15
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 5,165
  • 5,165
  • Paralelo
  • 4,370
  • 5,100
  • Turismo
  • 4,860
  • 5,270
  • Euro
  • 5,619
  • 5,623
  • Iene
  • 0,047
  • 0,047
  • Franco
  • 5,306
  • 5,310
  • Libra
  • 6,300
  • 6,306
  • Ouro
  • 268,540
  •  
Mensal - 04/03/2020
  • Índices
  • Jan/20
  • Dez/19
  • Inpc/Ibge
  • 0,19
  • 1,22
  • Ipc/Fipe
  • 0,29
  • 0,94
  • Ipc/Fgv
  • 0,59
  • 0,77
  • Igp-m/Fgv
  • 0,48
  • 2,09
  • Igp-di/Fgv
  • 0,09
  • 1,74
  • Selic
  • 0,38
  • 0,37
  • Poupança
  • 0,05
  • 0,05
  • TJLP
  • 5,09
  • 5,57
  • TR
  • -
  • -

Saiba mais ...

Agendas Tributárias

  • 31/Março/2020 – 3ª Feira.
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras.
  • COFINS/PIS-PASEP | Retenção na Fonte – Autopeças.
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração mensal.
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração trimestral.
  • IRPJ/CSL - Lucro real anual - Saldo de 2019.
  • IRPJ | Imposto de Renda Pessoa Jurídica | Renda variável.
  • IRPJ/Simples Nacional | Ganho de Capital na alienação de Ativos.
  • IRPF | Imposto de Renda Pessoa Física.
  • REFIS/PAES | Programa de Recuperação Fiscal.
  • REFIS | Programa de Recuperação Fiscal.
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro | Profut | Parcelamento de débitos junto à RFB e à PGFN.
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregadores Domésticos - Redom (Parcelamento de débitos em nome do empregado e do empregador domésticos junto à PGFN e à RFB).
  • DOI | Declaração de Operações Imobiliárias.
  • DME | Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie.
  • Operações com criptoativos.
  • Programa bienal de segurança e medicina do trabalho.
  • Declaração de Benefícios Fiscais (DBF).
  • Declaração de Transferência de Titularidade de Ações (DTTA).
  • Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (Defis).
  • Informações prestadas pelas entidades de previdência complementar, sociedades seguradoras e administradoras de Fapi
  • Declaração de Rendimentos Pagos a Consultores por Organismos Internacionais (Derc).

Saiba mais ...

Avenida Silvio Avidos, 1104 - Sala 103 - São Silvano - Colatina ES   |   CEP: 29703-132
27. 3721 3268   |   pedro@gramacon.com.br
Desenvolvido pela TBrWeb
( XHTML / CSS )