Quer investir para a aposentadoria? Veja 7 perguntas e respostas

Tenho 55 anos e recebi uma herança de R$ 400 mil. Não tenho mais nada. Portanto gostaria de saber como aplicar para garantir a minha velhice, uma vez que não está longe. Não quero contar com o INSS, pois tenho apenas 20 anos de contribuição. Parei de trabalhar quando minha filha nasceu e voltei a contribuir nos últimos 3 anos. Pode me orientar? (Elisabete / São Paulo - SP)
Eu dividiria esses R$ 400 mil em três investimentos de CDBs de bancos médios e pequenos. Com um prazo de investimento de dois a três anos é possível conseguir CDBs que paguem de 115% a 120% do CDI. Lembrando que para o banco pequeno ela deve procurar uma corretora independente e que o valor investido + juros não deve ultrapassar R$ 250 mil, que é o valor coberto pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).  Ou seja, se o banco quebrar, o FGC assegura a sua rentabilidade.
 
Tenho 51 anos e contribuí para a previdência social por aproximadamente 2 anos. Ainda posso conseguir aposentadoria se começar a pagar a previdência? Quanto tempo contribuiria? (Victor Hugo Villanueva Soliz / João Pessoa – PB)
Sobre aposentadoria: a nova regra está sendo votada e discutida. Só poderemos saber o que vai acontecer depois que ela for aprovada. 
 
Gostaria de saber se posso fazer a portabilidade da minha previdência privada para outro fundo, como por exemplo o tesouro direto? (Gianna Alves Sato / Aguanil - MG)
Previdência privada se faz entre as mesmas modalidades. Se for PGBL, muda para outra que também é PGBL. Se for VGBL, muda para outra VGBL. Mas é possível encontrar um fundo melhor: com histórico de rentabilidade maior e taxas menores. Vale lembrar que muitos fundos vão investir em títulos públicos equivalentes aos do Tesouro Direto. Até porque o Tesouro Direto compreende uma série de títulos, não é um fundo.
 
Pagar o INSS não é mais interessante? (Ely Lisboa)
O INSS é uma obrigação legal. Se a sua intenção é reforçar a sua aposentadoria, minha indicação é optar por investir em alguma opção de renda fixa, como o Tesouro Direto e os CDBs de bancos. 
 
Gostaria de saber mais sobre a fórmula que nos dá a resposta se compensa ou não fazer o investimento na previdência privada. (Johnatha Nadur / Rio de Janeiro - RJ)
É um assunto complexo da fórmula que depende do quanto a pessoa ganha, qual faixa da tabela do Imposto de Renda ela faz parte, se ela faz a declaração completa ou não, se ela contribui para uma previdência oficial, enfim, são vários fatores, não tem uma fórmula fácil para fazer isso. Por isso, a gente faz essa regra de somar todas as taxas, que funciona bem para a maioria dos casos. 
 
Sou autônoma e tenho um pequeno pé de meia em previdência privada e fundo DI, mas penso em investir em uma sala comercial para me render um aluguel e aumentar o meu rendimento. Estou certa? Caso deixe o dinheiro investido seria melhor o tesouro selic ou diversificar os investimentos? A portabilidade da previdência para outros investimentos pode ser feita somente no mesmo banco ou entre bancos? (Ana Saraceni)
Portabilidade pode ser feita em qualquer fundo – no mesmo banco ou entre bancos. Portabilidade é livre, só é válido lembrar que se for previdência, PGBL só muda para PGBL e VGBL para VGBL. Sobre a sala comercial, ela precisa ver qual retorno vai ter em cima do dinheiro que investir. Se ela gastar R$ 150 mil e tiver retorno de R$ 500 no aluguel, ela terá que dividir 500 por 150.000 e terá a taxa de retorno do aluguel. Nesse exemplo seria muito baixo, de 0,33%. Ela vai comparar isso com a rentabilidade que teria no Tesouro Direto, que hoje fica entre 0,8% e 0,9% ao mês. Se a rentabilidade do aluguel for maior do que o Tesouro Direto, vá para o aluguel. Se não for, vá para o Tesouro Direto ou para outra aplicação de banco. Quanto à diversificação, depende do valor disponível. Se for um valor muito grande, vale a pena diversificar. 
 
Tenho a previdência privada pela Caixa há 10 anos pra minha aposentadoria. Posso investir no tesouro direto Selic e ficar com duas rendas quando me aposentar? (João Santos)
Não tem problema nenhum em investimentos que você faça, como Previdência Privada ou Tesouro Selic, o que muda é a tributação, que na Previdência tem o potencial de ser menor – dependendo do plano que você escolher e do seu caso, não necessariamente será. Mas a resposta é sim, pode ficar com as duas. 

Fonte: g1.globo.com

Cotações e Índices

Moedas - 31/03/2020 08:09:10
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 5,194
  • 5,195
  • Paralelo
  • 4,420
  • 5,160
  • Turismo
  • 5,150
  • 5,460
  • Euro
  • 5,681
  • 5,684
  • Iene
  • 0,048
  • 0,048
  • Franco
  • 5,371
  • 5,378
  • Libra
  • 6,414
  • 6,416
  • Ouro
  • 268,540
  •  
Mensal - 04/03/2020
  • Índices
  • Jan/20
  • Dez/19
  • Inpc/Ibge
  • 0,19
  • 1,22
  • Ipc/Fipe
  • 0,29
  • 0,94
  • Ipc/Fgv
  • 0,59
  • 0,77
  • Igp-m/Fgv
  • 0,48
  • 2,09
  • Igp-di/Fgv
  • 0,09
  • 1,74
  • Selic
  • 0,38
  • 0,37
  • Poupança
  • 0,05
  • 0,05
  • TJLP
  • 5,09
  • 5,57
  • TR
  • -
  • -

Saiba mais ...

Agendas Tributárias

  • 31/Março/2020 – 3ª Feira.
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras.
  • COFINS/PIS-PASEP | Retenção na Fonte – Autopeças.
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração mensal.
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração trimestral.
  • IRPJ/CSL - Lucro real anual - Saldo de 2019.
  • IRPJ | Imposto de Renda Pessoa Jurídica | Renda variável.
  • IRPJ/Simples Nacional | Ganho de Capital na alienação de Ativos.
  • IRPF | Imposto de Renda Pessoa Física.
  • REFIS/PAES | Programa de Recuperação Fiscal.
  • REFIS | Programa de Recuperação Fiscal.
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro | Profut | Parcelamento de débitos junto à RFB e à PGFN.
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregadores Domésticos - Redom (Parcelamento de débitos em nome do empregado e do empregador domésticos junto à PGFN e à RFB).
  • DOI | Declaração de Operações Imobiliárias.
  • DME | Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie.
  • Operações com criptoativos.
  • Programa bienal de segurança e medicina do trabalho.
  • Declaração de Benefícios Fiscais (DBF).
  • Declaração de Transferência de Titularidade de Ações (DTTA).
  • Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (Defis).
  • Informações prestadas pelas entidades de previdência complementar, sociedades seguradoras e administradoras de Fapi
  • Declaração de Rendimentos Pagos a Consultores por Organismos Internacionais (Derc).

Saiba mais ...

Avenida Silvio Avidos, 1104 - Sala 103 - São Silvano - Colatina ES   |   CEP: 29703-132
27. 3721 3268   |   pedro@gramacon.com.br
Desenvolvido pela TBrWeb
( XHTML / CSS )